18 de abr de 2017

Polícia Civil do Acre irá aderir à paralisação nacional nesta terça-feira


"Não temos outra forma de exigir nossos direitos, de combater a retirada desses direitos reconhecidos”, afirmou presidente do Sinpol/AC


Astorige Carneiro - Convocado a nível nacional pela União dos Policiais do Brasil (UPB), será realizada nesta terça-feira (18), a partir das 8h30, na praça Povos da Floresta, em frente ao Palácio Rio Branco, a paralisação dos policiais do Acre.

A mobilização nacional é um manifesto das forças policiais contra as mudanças propostas pela Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 237, que trata da Reforma da Previdência. A paralisação vem devido à falta de acerto nas negociações entre a UPB e o Governo Federal.

Jean do Valle, vice-presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Acre (Sinpol/AC), explica que, inicialmente, foi dito que certas emendas reduziriam o tempo de contribuição dos policiais: “A última proposta foi uma aposentadoria com idade de 60 anos, e isso é fora da nossa realidade: a média de vida de um policial civil brasileiro é de 55 anos, ou seja, estamos abaixo do que o governo está prevendo”.

Sobre a proibição do movimento de greve por parte da força policial, Jean explica que esta é a única maneira da categoria se manifestar para exigir uma qualidade de vida após anos de serviço. “Entendo que somos servidores e que a greve traz prejuízos para a população, mas não temos outra forma de exigir nossos direitos, de combater a retirada desses direitos reconhecidos”, afirmou Jean.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.